Aviação 2015: o que se previu e o que ocorreu

By: Author Raul MarinhoPosted on
381Views7

Compare o que se previu neste blog para a aviação em 2015, e o que realmente ocorreu no ano que se finda, de acordo com esta matéria recém-publicada pela Exame.com (com informações da IATA-Associação Internacional de Transporte Aéreo): Brasil leva aéreas ao prejuízo na América Latina. Não que a análise feita em dezembro de 2014 fosse coisa muito complicada – pelo contrário: ela refletia o óbvio! -, mas o que teve de gente falando que este blog estava sendo pessimista, que tudo iria ser diferente neste ano por causa disso e daquilo, que era preciso “acreditar no Brasil” que tudo daria certo, etc e tal, não foi brincadeira também…

7 comments

  1. Marco Véio
    2 anos ago

    Pois olha tchê! Eu esperava coisa pior para 2015. Achei que as demissões em massa fossem ocorrer este ano. Mas fatalmente vai ficar para 2016.

  2. Black Hole
    2 anos ago

    Desoneração de impostos sobre combustível de aviação para empresas de transporte aéreo regular já ajudaria muito a Aviação no Brasil, mas acho mais fácil o Lula ser preso do que isso vir a acontecer! A TAM já perdeu vários voos para a Lan: ex GRU-JFK era operado pela TAM, agora 1 dessas frequências é feito com avião da Lan SCL-GRU-JFK ou seja não vale a pena abastecer no Brasil então eles preferem operar! E tem voos da Europa que já estão aguardando autorização para passar para Lan também!

  3. Juca Martins
    2 anos ago

    Há um tempo atrás fiz um comentário num site “x” em que o instrutor falava que era só da motor e acreditar e tudo ia ser perfeito e mil maravilhas, fui massacrado por falar que as coisas não são bem assim… outro dia falei para um primo da minha mulher, que estava ingressando na aviação que era complicado as coisas não estavam bem, pois ele me disse que no Aeroclube onde estava realizando as horas falaram para ele que era tudo fácil, e que pra voar “jato” nem precisava mult, se ele não tivesse a grana do mult nem precisa se preocupar, que nem cobravam essa carteira pra voar jato e era muito fácil pra ingressar na Linha Aérea…
    Certo é fui taxado várias e várias vezes de pessimista, hoje a realidade que nos cerca é aquela que eu disse para muitos conhecidos meus que venderam casas e carros para pagar cursos e mais cursos e hoje estão desempregados. Eu sempre disse que “sonho” não paga conta e nao enche barriga.
    Eu acredito que boa parte da culpa é de escolas e Aeroclubes que venderam essa “fantasia”.
    Raul sempre acompanho seu site, gostaria de te dar os parabéns, pois muitas verdades não são ditas por aí, mas vc joga elas todas “na mesa”.
    Sinceramente não recomendo a Aviação para meus filhos, e após 12 anos (eu sei é pouco tempo) estou recomeçando do “zero”, antes tarde do que nunca.

    • CaXXX
      2 anos ago

      Concordo 100% com sua analise e gostaria de complementar um ponto… Os instrutores que vendem essa “fantasia”, na maioria das vezes (para nao dizer todas) sao pilotos pressionados pelos aeroclubes e/ ou escolas a literalmente venderem, ja que quando sao recem checados, submetem-se a instrucao aerea, sem registro, sem beneficios, sem garantia de nada… E se nao fizerem o papel de vendedor a qualquer custo, sao facilmente substituidos por outra pessoa que, no portugues claro, vai poder mentir com mais facilidade… Triste mercado, pois o jovem que procura se informar sobre, acaba buscando informaçao justamente nesses lugares e no final, se torna mais uma vitima…

  4. Beto Arcaro
    2 anos ago

    Acho que otimismo exacerbado com a Aviação no Brasil, principalmente quando o pensamento “pé no chão” leva à crer que as coisas não vão sair como se “sonhava”, acontece devido à alguns fatores:
    O primeiro (e o mais óbvio) é o Comercial.
    Escolas, Aeroclubes, “Portais” na Internet, os quais tinham um certo discurso na época da suposta “falta de Pilotos” e que agora vão ter que rebolar no Marketing para manter o mesmo nível de confiança.
    Existem certas mensagens de “Auto Ajuda Aeronáutica”, em redes sociais chegam à ser bem pouco profissionais, pra não dizer enganosas.
    Estas me dão um certo “Asco”.
    Não buscam soluções, não querem buscar, e tem raiva de quem busca!
    E eles acham que é assim que a realidade é resolvida.
    Com “Populismo”!
    O segundo (derivado do primeiro) é aquele Sujeito/a que tem pouco tempo de Aviação, foi fruto do “Apagão de Pilotos”, e não teve tempo de perceber que a Aviação no Brasil sempre esteve em crise, de um jeito ou de outro.
    Teve uma “carreira meteórica” até agora, e não quer acreditar que as coisas podem mudar pra pior.
    O Terceiro…
    Esse é fruto dele mesmo.
    É aquele que está começando agora, que estava no embalo do “Apagão” quando a crise apareceu.
    É aquele que faz de tudo pra voar, que acha que “só voar” paga o aluguel, paga a prestação do carro, etc.´
    Que pra não ‘ferir o orgulho” em dizer que está numa roubada, faz parecer que tudo anda às mil maravilhas.
    É aquele que começa na Aviação de “qualquer jeito”, que não espera a crise passar e vai voar onde ninguém quer, em empregos, muitas vezes, “suspeitos”.
    Não sei quanto à você, Raul, mas esses são os caras que tem me chamado de “Pessimista”, ultimamente.

  5. Raul, eu não gosto de soar pessimista. Aliás, se eu fosse pessimista não estaria ainda na Aviação, quase 36 anos após meu primeiro vôo em instrução. Mas esse negócio da “crença mágica” (aqui no Brasil, principalmente, mas em outros cantos do Mundo, também) já fez e ainda fará muita gente chorar lágrimas de sangue. Também já me arrependi de certas decisões, mas a maioria das pessoas teima em pensar mais com o coração e menos com o cérebro. E aí é que nem aquela música do Paulinho Moska: “Tudo, tudo de novo, vamos nos jogar onde já caímos…é tudo, tudo de novo…”. Enfim…

  6. Hubner
    2 anos ago

    Aqui a aviação nunca dará certo. E a responsabilidade não é exclusividade do governo, muito embora ele seja o maior causador de estragos.

Deixe uma resposta